Descobri que tenho asas e que sei voar, que o medo é a maior algema que alguém pode ter... É hora de me libertar e voar bem alto, repaginando a Vida com Pensamentos e Poesias ao alcance de todos.
Finalmente livre para voar mais alto... Carpe Diem!

Doe Vida - Doe Medula


quarta-feira, 18 de maio de 2016

LOUCA DE SAUDADE...

Se uma canção me lembrar
Troque o CD, não ouça mais
Se um perfume me recordar
Troque de marca, não use mais
Já que me trocou por um outro alguém
Substituir é o que te convém

Mas quando o coração não me enxergar
Vai te deixar louca de saudade, louca de saudade
O coração vai me desejar
E te deixar louca de saudade, louca de saudade

Eu quero ver então, se vai poder trocar de coração

Se algum lugar me lembrar
Troque de rota, não passe lá
Se um filme me recordar
Troque o canal, é só desligar
Já que me trocou por um outro alguém
Substituir é o que te convém

Mas quando o coração não me enxergar
Vai te deixar louca de saudade, louca de saudade
O coração vai me desejar
E te deixar louca de saudade, louca de saudade
Eu quero ver então, se vai poder trocar

Louca de Saudade... (Jorge e Matheus)

DOIS IDIOTAS...

Foi mal
Eu devia ter dito da primeira vez que senti
Você sempre me dando sinais e eu nunca entendi
A minha covardia te afastou de mim

Eu sei
Que fiquei esperando o momento de me declarar
Mas na vida ninguém tem certeza
Antes de se arriscar
Depois de tanto tempo
Frente a frente aqui
Frente a frente aqui

Minhas indiretas, tão diretas
Eu senti saudades e não te falei
Não é sempre que a gente acerta
O amor andava do meu lado e eu não abracei

Sabe?
A verdade é que nós não passamos de dois idiotas
E deixamos o medo e o destino fechar nossas portas
Porque só foi dizer agora

Sabe?
Ainda sinto um frio na barriga como antigamente
Coração quase sai pela boca, mas infelizmente
O tempo não foi amigo da gente
Seguimos rumos diferentes

Musica:Dois Idiotas (Maiara e Maraisa)

domingo, 15 de maio de 2016

RECOMEÇO....

Três anos se passaram desde a última postagem e tanta coisa mudou...
Nesse tempo afastada casei, perdi uma irmã, um sobrinho pequeno, descobri que a vida não pára de me dar porrada, mas eu tô firme e forte, caindo, levantando e limpando os joelhos para seguir em frente.
Sobre o casamento, talvez tenha sido para me dar coragem de realizar meu sonho e ter meu próprio canto, no começo era uma tranquilidade, mas aí vieram os problemas, as discussões e não dá pra remar o barco sozinha, união é pra crescer juntos, mas não fica fácil só quando um resolve correr e o outro fica lá atrás, parado, só olhando... Mas enfim, o casamento deu certo até aonde deu, não tenho queixas mais, ele me fez bem assim como sei que fiz bem a ele enquanto pude, sem ressentimentos, sem mágoas, mas cada um em sua vida agora.

Maio de 2016

Com a separação consegui finalmente realizar meu sonho de morar sozinha, hoje tenho meu próprio cantinho (alugado, por enquanto), onde moro e arrumo do meu jeito, tendo como meu fiel amigo e companheiro, meu cachorro e filho Farofa, não tem amor maior do mundo o que esses bichinhos nos dão de graça, amor incondicional, ele não tá nem aí se eu estou suada, sem grana, feia, ele me recebe com uma felicidade que não tem tamanho, hoje é por ele que levanto e sigo em frente, ele depende de mim e eu desse amor gratuito que ele me dá.

Farofa e Eu

Sobre as contas... Ah! As contas, esse pesadelo que sempre me aflige, assim como a interminável guerra com a balança, que não cessa nunca, mas tenho uma boa notícia, apesar das minhas despesas terem aumentado, graças aos anjos que me cercam, consegui colocar 90% em ordem, do casamento herdei as dívidas, mas, faz parte, falta pouco para me livrar e ficar só com as despesas normais e honrar os compromissos com os anjos.
Sobre a eterna guerra com a balança, em 3 anos envelheci 10 anos, me descuidei, fiquei uma desgraça, autoestima lá no subsolo, mas como mostrou a propaganda do Boticário sobre o Divórcio, é hora de ficar linda e renovada!

Hoje após esse episódio da minha vida, voltei a ser ruiva, a me cuidar mais e agora tô no ringue com a Dona Balança, só que dessa vez preparada psicologicamente pra vencer, pulei de 95kg pra 103kg, parece impossível, mas não é! 
Maio de 2016

Não é fácil abandonar refrigerante, doces, sorvetes, tudo aquilo que dá um prazer danado, mas... ENGORDA!!! Mas não passei por uma cirurgia radical, onde pesava 175kg, para jogar tudo fora agora, sem pensar, sem me cuidar, vou voltar aos 2 dígitos em breve, não será fácil, mas quem disse que eu gosto de "facilidades"? Quero é desafios para me manter viva.
Meu projeto é no meu aniversário comprar uma calça jeans em loja normal sem precisar recorrer à lojas "Plus Size", só volto a comprar roupa de novo quando retornar aos 95kg. Eu vou conseguir! Como sempre digo:Sou filha da Dona Isabel e do Seu Manuel, não desisto fácil não...                          
Vou vencer essa batalha, estou amando cozinhar com qualidade, descobri com um amigo que grelhar as coisas com óleo de côco fica uma delicia e bem mais saudável, assim como as saladas de pote, dica de outro amigo, além das sopas que eu mesma preparo, sem aqueles temperos prontos, só sal, pimenta, alho e cebola, legumes e verduras, tão práticas e duram bem pra minha semana corrida...



                                                                Salada de Pote

Nesse retorno não poderiam faltar os amores... Incrível como a notícia que você está separada faz ecoar nos 4 cantos, e o resultado não poderia ser diferente, o passado encostou de primeira na minha vida atual, sabe qual a diferença agora? Tô mais desencanada, meus propósitos na vida são tão diferentes, parei de cuidar dos outros e descuidar de mim, agora eu quero é prosperar, me cuidar, chegar aos 50 anos lindamente (calma, ainda faltam 6 anos pra isso), quero fazer minhas plásticas reconstrutoras, porque depois da bariátrica tudo fica que "meio estranho" no corpo, dar uma levantada, cortada e repuxada não fará mal algum...


Converso com todos, tem espaço para todo mundo, só não tem mais aquela bobinha dedicada de antes, que fazia tudo pelo cara, a vida me mostrou que esse papel é da mãe, não meu!

Tão bom retomar velhos e bons hábitos como escrever aqui, sei que em algum lugar do mundo alguém se sente assim um pouco como eu e até tem um incentivo a mudar.
Escapei de várias depressões, justamente por ter ótimos exemplos à minha volta, tinha tudo para me afundar de vez, mas não me permito chorar por muito tempo, sou vento, posso ser uma leve brisa que refresca quando chega, ou um tornado, que por onde passa arrasa, só depende do outro...
Aos poucos estou caminhando, juro que não sei onde estava com a cabeça quando deixei esse velho e bom hábito, conto com a companhia agradável da minha vizinha, uma guerreira sem igual também. Voltei a ouvir as musicas que adoro, só me falta recuperar o hábito gostoso de ler (abandonado porque preciso ir ao oftalmo urgente) e de cultivar plantas, sinto falta delas no meu apê, falta vida, falta cor, mas é por pouco tempo, gosto das simples, que vendem em supermercado, bem baratinhas, por isso, não se acanhem se quiser me dar um presente, flores em vasinhos me deixam superfeliz!
Bem, para um retorno, acho que já dei um breve alô para quem me acompanha, um resuminho do que continua sendo minha vida, uma eterna montanha russa...




Vamos lá, que Deus me ajude a sempre continuar de bom humor por pior que seja o problema...


Beijinhos

quarta-feira, 15 de maio de 2013

ACHANDO AS RAZÕES QUE PERDI...

Cof... Cof... (É muita poeira no blog, preciso vir mais vezes aqui)...
Pois é, depois de um tempo longe daqui (sempre digo isso), resolvi postar mais um dos meus "causos" de vida. 
Hoje em mais uma viagem de "Buzão" pela orla da minha cidade a caminho do meu trabalho, me coloquei a pensar porquê tantas coisas erradas em minha vida e porquê nenhum romance meu emplaca?! Eis que o vento e o mar me trazem as razões dessas perguntas que martelam minha mente: "Sabotagem", sim, sabotagem! Eu saboto todos os meus relacionamentos, no começo a mulher encantadora, ideal, depois, a chata, que prefere se afastar do que ficar ao lado de quem gosta...
O motivo? Puro e simplesmente MEDO! Sim, de me apegar, de ficar à mercê do outro, de ver mais uma pessoa partindo (Pera! Mas a pessoa mal chegou e já tô dizendo que ela vai embora?!). Complicado pra se entender, mas dá pra explicar: Tive na vida pessoas muito importantes para mim, meus pais, meu irmão do meio, um grande amor do passado e todos esses, de uma hora pra outra se foram, meus pais e meu irmão, por terem cumprido sua missão aqui e o amor do passado, porque o amor era tanto que sufocou ambos...
Enfim, de tanto vê los partir, criei um mecanismo de defesa, quando começo a gostar de uma pessoa faço tudo pra que ela vá embora e não volte nunca mais, meu lado Shrek aflora, viro um Ogro, e isso assusta quem começa a gostar (Que o diga o ultimo que gostou de mim, deve estar assustado até hoje). No fundo, acho que isso só acaba no dia que eu encontrar uma pessoa mais turrona e teimosa do que eu, aquela que eu diga: "Vá embora" e o outro diga: "Não vou, gosto de voce e te quero comigo, mesmo chata, me colocando pra correr, sou teimoso e vou ficar."
Desde os 30 anos que a vida não tem sido fácil, é pancada em cima de pancada, doenças em família, partidas, contas, problemas. Eu canso de lutar, caio, me arrebento, mas a melhor parte é que tenho amigos especiais que me levantam sempre. Acho que isso é o que me faz ser um pouco mais forte pra continuar a minha passagem no plano terrestre.
Voltei a ser mais alegre depois da chegada do meu Farofa, desde o dia 03 de Outubro de 2012, dia do aniversário do meu pai (se vivo fosse) e o dia que fui buscá-lo no NEAFA, já passamos por muita coisa, doenças graves, tristezas, mas ele alí, sempre firme resistindo, com seu rabinho feliz que balança ao me ver e a carinha de tristeza quando vou embora trabalhar, ele se esconde embaixo da mesa, fica me olhando triste, desconsolado, mas entende que eu vou trabalhar pra comprar a nossa comidinha e que logo mais estarei de volta, essa alegria que ele faz não tem preço.

Falando em preço, outro motivo que faz com que eu afaste o outro são os problemas, ultimamente tento equilibrar o orçamento que apertou de um jeito absurdo, as contas do passado se juntaram com as do presente e haja aperto pra resolver tudo, é dinheiro que não entra na data certa, é conta que chega e por aí vai. Difícil ser doce e compreensiva nessa hora, mais difícil é estar linda e chapeada pra o moço na minha porta quando o bolso tá zerado, vocês não tem noção do que uma simples "saída" causa no bolso da gente. Aposto que tem gente pensando: "Mas não é o cara que paga a conta do bar?". Sim! Mas a manicure, depiladora, cabeleireira saem do meu bolso, fora roupa, perfume, maquiagem que nem entram na conta, tira aí uma média de R$ 100,00 a saidinha básica (A mulherada concorda comigo!).

A minha sorte é meu bebê de 4 patas que me ama de todo jeito, simples, arrumada (essa hora é complicada porque ele se agarra nas minhas pernas e quer vir junto, pelinhos e mais pelinhos na calça, adoroooo, rs) ou não, ele simplesmente me ama e ponto! 
Eu e ele enfrentaremos o maior de nossos desafios em Setembro, se tudo der certo, vamos morar sozinhos, no nosso cantinho, seja em bairro simples ou de classe média, não importa, o que vale é que seja um lugar onde a paz e a alegria reinem sempre, um cantinho pra receber os amigos especiais, as pessoas queridas... Eu terei o desafio de equilibrar o orçamento e contar com os prós e contras de morar sozinha e ele terá o desafio de ser o"dono" da casa durante o dia, vai ter que se comportar e tomar conta do que é nosso. Mas com fé em Deus, tudo dará certo e seremos felizes! 
Quem sabe nessa nova etapa da vida os meus medos desapareçam de vez e eu possa dar a chance de alguém entrar em minha vida...
 Que Deus nos ajude e nos proteja sempre!
Beijinhos!

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

DIETA - MEU BEM, MEU MAL...

O ano se inicia e com ele as velhas promessas de "vou emagrecer pra o Carnaval", é quando você vê a invasão nas academias, as agendas lotadas nos especialistas em regimes e por aí vai. Eu resolvi fazer dieta, mas não por modismo ou por conta do carnaval, pelo contrário, resolvi fazer porque eu no final de ano já havia ultrapassado todos os limites possíveis, os quais já tinham saído do controle há um tempão. 
Liguei o alerta, afinal, pra quem já pesou 175kg e precisou fazer uma redução de estômago, todo o cuidado é pouco, tanto que quando me dei conta em 18 de janeiro de 2013 eu já estava pesando 107,4kg, o alerta apitou na hora, mais um pouco e eu colocaria tudo a perder... Lembrando que meu menor peso pós-cirurgia foi de 95,5kg.
                                  
Então resolvi começar pelos cortes, cortei o que mais amava: doce e refrigerante, todo mundo achou radical, "imagina, basta você consumir menos". Não existe essa de consumir menos pra quem é viciado, alguém tem noção do que é trocar água por coca zero? Comer um monte de chocolate e uma panela de brigadeiro branco todas as noites antes de dormir? Assustador não é? Imagina pra mim, então é melhor corta-los de vez, o que não acrescenta, a gente corta, simples assim...
Substituí a falta de doces comuns por versões lights e frutas, não me arrependo, até tem sido bem gostosa essa troca, os refrigerantes substituí por suco em pó "Magro" e "Clight", escolhi meus sabores favoritos e levo-os aonde vou, até nas festas, não deixo de sair por causa disso, pelo contrário, até me animo.
 Não pensem que é fácil, pelo contrário, é difícil pra caramba, tive crise de abstinência por conta do doce, desejava as coisas ao ponto de sentir o gosto delas, foi punk mesmo, é preciso ser fiel à o que se propõe, se fiscalizar, porque aquela historinha de "ah, só hoje eu como, amanhã volto pra salada" é barca furada, sei disso por experiência própria, no domingo fui à praia com amigos e achei de beber cerveja, comer amendoim, camarão, ovo de codorna, e o resultado foi um mal-estar terrível e uma interrupção no meu processo de emagrecimento, faço outra dessa mais não.
Nada pode me tirar o prazer de emagrecer e ver o resultado numa foto, você não sai tão "deformada", sai até legal! Vi isso nas fotos que tirei no aniversário dos meus sobrinhos, deu até pra arriscar uma foto de bermuda e de corpo inteiro, olha só que legal?! 
                                                

Claro que tudo fica mais fácil quando você tem amigos que te apoiam e ainda te dão preciosas dicas, como minha amiga Joselita Santos a quem carinhosamente chamo de "minha nutricionista online", suas dicas foram de grande valia, me ensinou a fazer substituições preciosas e principalmente estabelecer metas palpáveis, aquelas que você sabe que pode conseguir. Minha primeira meta foi chegar à segunda-feira de carnaval saindo dos 3 digitos (sim, estava com 107,4kg no começo, lembram?) e consegui, o engraçado foi postar a foto do peso nas redes sociais, teve gente que ficou indignada, "como é que eu mostro esse peso horrível pra todo mundo?". Pra quem já pesou 175kg, isso não tem a menor importância, se o medo é que os "caras" se afastem, melhor assim, que se afastem mesmo, quero quem torça por mim e me ajude, pra críticos já me bastam os que são desocupados e que vivem de falar da vida alheia. Estou muito orgulhosa da minha primeira meta.

E é assim, vou passo por passo, sem muita agonia, melhor perder um pouquinho de cada vez pra nunca mais voltar, do que fazer as dietas malucas que perde muito e engorda o dobro depois como já aconteceu... Estou firme no que quero, meu próximo passo é me organizar e voltar a caminhar cedinho, tarefa difícil, mas tem que acontecer, eu preciso muito dessa parte, quero alcançar minha meta que é chegar aos 95kg até o final de março, daí estabeleço mais outra meta, aos poucos, vou conseguindo o que quero.
Nada é mais compensador do que tirar uma foto e ver que estou com o rosto mais fino e realçando a "boniteza" que todos tanto falam...
                                            


Uma semana bem bacana pra vocês, torçam por mim!

O PREÇO DAQUILO QUE SE CHAMA VIDA...

O preço daquilo que se chama "VIDA" as vezes pode ser muito alto, mas se estamos disposto a pagar então vale a pena... Foi exatamente isso que senti ao adotar o Farofa, depois que perdi meus pais, ele tem sido minha melhor companhia, muitas vezes criticado, aliás, ambos somos criticados, ou por ele ser danado, ou por eu tê-lo adotado, como ouvi uma vez: "Você arrumou um problema e despesa", problema eu arrumo quando convivo com pessoas insensíveis e que não tem amor no coração, despesa? Se for encher a cara na balada gasto muito mais em uma só noite do que o mês inteiro cuidando dele.
Além disso, só quem tem um animalzinho amigo sabe bem do que falo, as vezes a gente acorda desanimada, não querendo nem sair da cama, mas aí você vê aquela coisinha fofinha balançando o rabinho, feliz da vida porque você acordou e todo dengosinho pra ganhar seus primeiros carinhos da manhã, que a vontade de lutar por um mundo melhor aparece na hora.... De que adianta reclamar porque ele faz xixi na sala e eu tenho que lavar a sala por causa disso, a culpa não é dele, a culpa é minha que não me organizei pra todos os dias leva-los pra passear, ele só faz o que o instinto dele acha que é certo, se eu não educa-lo, ele não vai saber o que é o certo...
São pequenas coisas que me fazem crer que a vida as vezes não é fácil, sinto falta dos meus pais, dos meus melhores amigos que estão cuidando das suas vidas, uns casaram, outros foram trabalhar em outro estado, alguns na batalha também por dias melhores... Sinto as vezes falta de alguém pra partilhar as emoções do dia-a-dia, pra cuidar, pra fazer sorrir, mas como diz a frase: "Não posso impedir ninguém de partir, mas posso dar excelentes razões para que fique/volte" (claro que a frase não é bem assim, mas é por aí o pensamento). Com isso fui criando novas formas de amenizar as tristezas da vida, uma delas é cuidar das plantas, o meu jardim torna-se cada dia mais lindo e isso me orgulha muito, saber que assim como meus pais, as plantas também florescem aos meus cuidados.

 A vida é isso, é ter sensações, emoções, raiva, luta, dias de glória, dias de saudade, dias de se pensar no que fazer e como agir, tempos de se irritar com o menor dos problemas e ter coragem de resolver um caminhão deles com um sorriso.
Mas confesso, apesar de não ter filhos, ver meu anjo de 4 patas dormindo é sentir que o mundo pode e será melhor do que eu imaginava que seria... 
                                       
Vamos adiante, a batalha está só começando, escrever aqui já é um começo, estamos quase na metade de fevereiro e minha desorganização é tanta que minhas agendas, sim, agendas, tenho três, uma que faço de diário, outra pra o trabalho e outra pras contas e coisas pessoais, todas estão lacradinhas como vieram, mas hoje eu resolvo isso também!
Tenho mudanças radicais esse ano para fazer, uma delas é mudar de casa, morar sozinha, será difícil? Acredito que sim, mas não é nada que seja de morte, pelo contrário, é quase o nascimento de uma nova era pra mim, vou adiante, a parte bacana é que tenho o gene guerreiro dos meus pais, morro lutando, jamais morrerei por covardia...


Uma feliz vida pra todos!

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

UM FILHO DE 4 PATAS...

 Nunca pensei na minha vida que adotar um cãozinho seria tão emocionante, apaixonante, confesso que ainda me sinto "mãe fresca" de uma criaturinha tão dependente e ao mesmo tempo tão inocentemente cheia de carinho gratuito que só quem passa pelo mesmo é que sabe do que falo...
Tudo começou quando fui com a minha amiga Lua Beserra (leia-se: mãe de 8 cachorrinhos lindos, a maioria deles, adotados) ao NEAFA (ONG que cuida de cães e gatos abandonados, doentes, com o maior amor do mundo) levar donativos e ver como estava o Anselmo (cachorro que sofreu brutalidade de um desalmado ser, precisando ser operado algumas vezes e que a Lua fez uma campanha pedindo doações em dinheiro para custear seu tratamento, prontamente atendida por muitos corações do bem). Ao chegar lá, vi um filhotinho pequenino que começou a andar entre minhas pernas, de um lado para o outro me acompanhando, uma das vezes foi arrumar encrenca com uma Cadela de porte grande e brava que latia pra ele e o danado corria pra ficar entre minhas pernas como quem diz: "Mexe agora, ela me protege, viu!?".
Peguei ele no colo e a troca de energia boa foi muito grande, fiquei com vontade de leva-lo pra casa, mas como moro em um apartamento, desanimei, ainda mais que tinha que consultar minha irmã que divide o apto comigo. Mas ao conversar com a Diretora da ONG ela me falou que ele era de porte pequeno e com certeza se adaptaria fácil ao ambiente, só precisava de muito carinho, comida e amor (isso é a parte fácil), mas eu precisava ainda consultar minha irmã.
No dia seguinte, mostrei a foto dele pra ela e de cara ela topou, comecei então a organizar tudo pra que nada faltasse pra ele. No dia 03 de outubro (dia do aniversario do meu falecido pai) eu e Lua fomos buscar o pequeno, batizado como FAROFA, o meu farofinha lindo, eu era um misto de alegria e medo que só vendo, afinal, quando você decide adotar um animal tem que fazer com muita responsabilidade, pesando os prós e os contras, é como adotar uma criança, uma vez adotada, você não a devolve pro orfanato, não cabe isso!
Bem, caminho afora, ele muito assustado com o transito, o passeio de carro, paramos pra comprar comida, brinquedinhos, deixei-o em casa com minha irmã e fui trabalhar, ansiosa pra estar com ele à noite e saber como seria essa maternidade finalmente. Ele veio apresentando uma tosse, então veio com um xarope pra administrar e alivia-lo dessa agonia. Os dias se passaram era só carinho e felicidade, mas desespero mesmo eu conheci 6 dias depois quando ele adoeceu, ficou molinho, não queria comer, sem animo, nossa, fiquei em prantos, a minha agonia foi tanta que até o chefe me liberou antes do horário pra leva-lo ao veterinário do NEAFA, Lua como sempre me dando uma força nos levou e ficou aguardando, eu chorava feito uma mãe vendo seu filhinho doentinho, diagnosticaram doença do carrapato, tomou soro, medicação, antibiótico e muita recomendação pra que se ele não melhorasse voltasse ao NEAFA com urgência que era questão de vida ou morte pra ele. 
Passei a dar a medicação direitinho, acordando as 5h da manhã e administrando todos os remédios, me ensinaram receita de pastinha de fígado pra reforçar mais o organismo e eu fiz de imediato. Hoje, ele está bem espertinho, brincalhão, só ontem que de novo não queria se alimentar, mas depois melhorou, mesmo assim, fui correndo em casa ficar com o carinho de mãe, dando comidinha na mão até ele começar a comer. 
A felicidade dele quando eu chego em casa não tem preço, à noite ele dorme no meu quarto e o mais engraçado é que ele consegue subir sozinho na minha cama e acaba dormindo no cantinho da cama, é muito lindo, muito gratificante esse filho de 4 patas que Deus me deu, é muito amor um pelo outro,  deixo até de sair pra dar a medicação dele certinha.
Muitas vezes levo bronca da Lua por mimar demais, mas poxa, sou mãe de primeira viagem, eu mereço cometer alguns errinhos... Amo meu pequeno e não vejo a hora dele ficar bom de vez, tomar as vacinas e irmos dar lindas voltas pela pracinha, mas se ele fizer caquinha, os saquinhos plásticos estarão prontinhos pra apanhar suas caquinhas na rua. 

Beijinhos meus e lambidas felizes do Farofinha...